[TRADUÇÃO] CHRIS EM ENTREVISTA AO SITE ROCK & POP!

Chris em entrevista ao site Rock & Pop

Chris Wolstenholme do Muse: “As pessoas não estão comprando isso de ‘álbum conceitual’, estão escutando músicas no Spotify”.

Com seu novo single, não sabemos se a banda tem realmente planejado um disco ao menos pelos próximos meses… Ainda que seu baxista tenha nos falando que terminando 2018 ou começando 2019, poderá haver novidades. Virão para o Chile? Aqui a resposta em entrevista com Joce Acuña.

Muse nos tem em suspenso. Desde 2015, eles não lançam novo álbum após a estreia de “Drones”, mas nos deram um par de singles: Em dezembro veio “Dig Down” e agora a estreia de “Thought Contagion”… Será que um novo álbum realmente está chegando? Conversamos com Chris Wolstenholme, baixista da banda.

 

R & P: Queremos esclarecer imediatamente uma questão: Esses lançamentos são parte de uma série de singles para um EP, ou vão direto para um disco?

 

Chris: Mmm… Acho que é uma coisa de ambos. Depois de terminar a turnê anterior, tivemos longas conversas sobre o que íamos fazer, nos perguntamos para onde deveríamos ir, se tivéssemos que mudar drasticamente o que fizemos… Do mesmo modo, as pessoas não estão comprando isso de “álbum conceitual” , elas estão ouvindo músicas no Spotify, Apple Music ou mesmo através dos vídeos, especialmente as gerações mais novas.

Eventualmente, todas essas músicas serão colocadas em um disco, mas acho que, por enquanto, vamos soltar os singles e aproveitá-los. Além disso, há coisas especiais quando você grava apenas uma música ao contrário de fazer um único álbum, é um pouco mais relaxado. Mas provavelmente no final deste ano ou no início do próximo ano, vamos lançar um álbum e terão músicas que as pessoas não ouviram… Mas, claro, estamos abertos a muitas possibilidades hoje em dia.

 

R & P: Claro. Bem, sobre o novo single, amei essa piscadela no design dos anos 80. Isso me lembra muitas dessas séries policiais daquela década e até “Back to the Future”… É algo que vem muito inspirado por aquela onda…

 

Chris: (Risos) Queríamos dar-lhe uma imagem dos anos 80 pelo lado visual, inspirada nas memórias de grandes clássicos do cinema e séries de televisão que vimos naquele momento. São coisas com as quais crescemos e isso finalmente afetou nossas vidas.

 

R & P: Ótimo. Bem, eu estava lendo uma entrevista com Matt no NME.COM… Citou: “Nós vamos fazer a maior turnê que já tivemos e vamos mexer a mente das pessoas com coisas que nunca antes viram”. Precisamos de uma explicação sobre isso, agora, por favor.

 

Chris: (Risos) Eu acho que durante a última vez que fizemos várias coisas com a tecnologia das luzes, sempre tentamos adicionar coisas que se adaptem ao conceito dos álbuns. Eu acho que agora vamos aumentar a implementação da tecnologia muito rápido, particularmente na parte visual no palco.

Lembro-me que a primeira vez que tivemos uma tela no palco, mas através de um projetor. Nós crescemos muito desde então. E desde a última turnê que implementamos os drones, realmente aproveitamos a tecnologia. Nós sempre tentamos usar o que existe, buscamos coisas novas e, se isso funciona, adicionamos, além de que sempre queremos avançar e pressionamos para que os shows avancem para criar uma experiência.

 

R & P: Na verdade, eu me lembro da última vez que vocês vieram ao Chile em 2015, quando olhávamos para o palco não havia um único cabo… Vocês gostam de manter uma ordem visual no espaço de trabalho onde se movem, há um trabalho importante na estética de Muse.

 

Chris: Bem, você sempre deve adicionar algo à música, especialmente para as pessoas que vão te ver ao vivo, eu acho, e isso também faz as pessoas voltarem para você na próxima oportunidade. Tentamos ser muito legais nisso e gerar um impacto no público.

 

R & P: A última pergunta, e é algo óbvio… Não sei se Muse virá ao Chile tão cedo…

 

Chris: Tenho muita certeza de que vamos fazer isso. A última vez que fomos foi quando lançamos nosso último álbum. Assim, definitivamente agora, vamos fazer outra grande turnê mundial e a América do Sul será parte disso. Temos lembranças muito boas de lá … Na verdade, eu ainda me lembro quando tocamos no Chile em 2008 em um lugar pequeno [Teatro Caupolicán], onde estava cheio e todos cantavam nossas músicas. É um dos meus concertos favoritos, eu realmente gostei desse show com todos os fãs com boa voz (risos).

 

The following two tabs change content below.
Mari

Mari

Drone trilingue de inglês, francês e espanhol, raptado de outro dono e caçador de notícias nível expert. Programado para ser extremamente educado e gentil.

COMENTÁRIOS