matt-x

Matt Bellamy

Vocal / Guitarra / Teclado

"Eu acho que as pessoas me vêem pouco como alguém com a cabeça nas nuvens, mas eu acho que é um bom lugar para se estar. No mundo em que vivo, eu prefiro ser fora do normal do que normal, porque ser normal é ser uma parte de um sistema que é muito corrupto."

"Se alguma coisa desse errado na minha vida, até mesmo ter a atenção chamada por um professor, eu apenas iria pra casa e tocaria música. Isso me faria perceber que estou bem comigo mesmo. Há várias coisas que acontecem na sua vida, coisas com a sua família, coisas quando você está crescendo, e música sempre foi minha saída para superar isso"

Matthew James Bellamy, nasceu no dia 9 de junho de 1978 em Cambridge, Inglaterra, e se mudou para Devon com sua família quando tinha 10 anos. É a principal voz da banda, e responsável por tocar piano e guitarra.

guitarraDesde pequeno, Matt teve interesse na música, talvez devido a influência de seu pai, George Bellamy, que fazia parte de uma banda chamada The Tornadoes. Inclusive, a música Knights of Cydonia tem inspiração na música Telstar do The Tornadoes, que foi a primeira música de uma banda do Reino Unido a alcançar o primeiro lugar nos charts musicais americanos.

Teve contato com o piano aos 6 anos, mas não tinha muito interesse em seguir os cursos convencionais, de forma que aprendeu a tocar “de ouvido” (com um leve empurrão de seu irmão mais velho). Seus pais se separaram quando ele tinha 13 anos e ele foi morar com a avó, e desde então sua vontade musical só aumentou. Além de ter aprendido a tocar guitarra sozinho aos 14 anos, Matt comenta em entrevistas que sempre usou a música com o objetivo de exteriorizar as tensões do dia a dia.

“Não havia problemas em casa, éramos da classe média, tínhamos dinheiro, até que eu fiz 14 anos. Acho que até essa idade eu tinha quase tudo que queria, sim. Mas aí tudo mudou, meus pais se divorciaram e eu fui morar com minha avó, e ela não tinha muito dinheiro. Eu tenho uma irmã que é mais nova que eu – bem, na verdade é meia-irmã, meu pai a teve em outro casamento – e também um irmão mais velho. Até os meus 14 anos a música era parte da minha vida porque era parte do círculo familiar: meu pai era músico, tinha uma banda, etc. Mas só quando eu fui viver com meus avós que comecei a tocar e compor. Era como uma necessidade para mim.”

Seus pais e irmão mais velho usavam um Tabuleiro de Ouija para contatar os mortos, coisa que Matt descobriu enquanto andava pela casa tarde da noite. Ele se interessou pelo Tabuleiro depois do divórcio de seus pais.

 “Era empolgante ir pra escola e contar pras crianças de 10 anos sobre isso, porque eles achavam muito assustador e eu ficava impressionado com o fato de eu estar fazendo algo que era assustador pra outros, mas não para mim. Eu gostava bastante disso.”

 

Rankings e opiniões

Bellamy era o #19 na lista da Gigwise “Os 50 Maiores Guitarristas”. Os leitores da revista Total Guitar votaram e Matt ficou em #28 na lista dos 100 Melhores Guitarristas de Todos os Tempos. O Riff de Matt em “Plug In Baby” ficou em #13 na enquete do Total Guitar do Top 100 Melhores Riffs de Todos os Tempos.

quebraEm abril de 2005, a revista Kerrang! classificou-o na 28ª posição nas “50 Pessoas Mais Sexy No Rock”. A Cosmopolitan também escolheu-o como o Rockeiro Mais Sexy de 2003 e 2004. A revista NME votou nele como o 14º na lista dos maiores “Heróis do Rock ‘n’ Roll de Todos os Tempos”, à frente de John Lennon e Bob Dylan. Matt também ganhou o prêmio “Homem Mais Sexy” no NME Awards em 2007. Ele venceu novamente em 2009, 2010, 2011 e 2013. Matt, no entanto, declarou-se muito baixo para ser sexy (ele tem 1,73m) e disse que o prêmio devia ter ido para o Dom.

Na edição de janeiro de 2010 da Total Guitar, Matt foi nomeado “Guitarrista da Década” e também recebeu uma nomeação como o “Jimmy Hendrix da sua geração”. No Guinness Book of World Records 2010, ele ganhou o prêmio pelo maior número de guitarras quebradas em turnê, 104, que foi registrado na turnê do álbum Absolution. Em abril de 2010, Bellamy foi nomeado o melhor “Front Man” de todos os tempos pelos leitores da Q Magazine. Em dezembro de 2010, os leitores da revista MusicRadar votaram em Matt como um dos 9 Melhores Vocalistas de Todos os Tempos.

 

As Letras do Muse

britawards_mattAs letras das músicas compostas por Bellamy expressam bastante sua personalidade. Matt sempre foi adepto a pensamentos sobre política e teorias de conspiração, assim como eventos mundiais (ocupação da Wall Street, em 2011), ecologia, o fim do mundo, a eterna dúvida sobre a existência de vida após a morte, hiperespaço, tecnologia, religião, além de dedicar quase todo um álbum ao livro 1984 (George Orwell, 1949) com The Resistance, tudo isso dentro de um futuro distópico, onde governos totalitaristas controlam todos os aspectos do comportamento público e privado, mantendo seu poder com políticas e táticas violentas como vigilância exagerada, mídia controlada pelo estado vigente, etc. Liberdade está fora de questão e a ideia de terrorismo pode ser colocada em qualquer indivíduo, independente de sua idade, e por aí vai…

 

Voz

nhamApesar de existirem diversas críticas dizendo que no início da carreira Matt tinha a voz muito parecida com a de Tom York (Radiohead), Matt possui uma voz muito diferente da maioria dos cantores e bandas atuais. Ele é capaz de alcançar facilmente notas tanto graves quanto agudas. Dom, baterista e amigo de Matt, diz que, durante um exame vocal, foi constatado que Matt possui cordas vocais anormalmente pequenas.

 

 

Ao Vivo

Bellamy usa um massageador de pés elétrico para se preparar e comenta que banhos de espuma também são ótimos para se “aquecer” antes de shows.

Em certa entrevista, afirmou que a única bebida alcoólica que ingere antes, durante e/ou após shows é vinho tinto, porque não seca sua garganta e é bom para sua voz.