Tudo sobre a banda britânica Muse formada por Matt Bellamy, Dom Howard e Chris Wolstenholme.

Instagram Facebook Twitter

[Entrevista] Revista Panorama

Revista Panorama (IT)

A nova edição da revista italiana Panorama traz uma entrevista com o Muse, onde o Matt fala sobre o término do seu relacionamento de oito anos com Gaia Polloni, o incidente no programa Quelli Che Il Calcio, e Dom fala brevemente sobre a vez em que ele e Thom Yorke quase brigaram.

Confira a tradução:

Muse: Ataque ao San Siro

“Cinquenta mil ingressos vendidos três meses antes do show? Lotaremos o San Siro, então…” A notícia do grande número de ingressos vendidos na pré-venda dos shows na Itália chega até Bellamy numa Paris monótona, com um céu cinzento, típico do inverno. O dia começou bem, e o cantor do Muse permite-se um grande sorriso. “Viu? Eu não sou tão triste, obscuro e solitário quanto me descrevem”, ele adiciona alegremente.

O seu bom humor é prontamente arruinado por um garçom do hotel perto de Verdome em que ele está hospedado. “Com licença, esta mesa está reservada. Vocês poderiam levar a entrevista para outro cômodo?” A sala fica estática. Bellamy se levanta, seus olhos procurando pelo empresário da banda, então ele nervosamente vai para outro corredor. Ele se senta à mesa, mexe no iPod do entrevistador por alguns minutos e eventualmente volta a falar.

Desta vez, o que o faz ficar calado é uma perfuradeira, ensurdecendo-nos com o barulho vindo do piso acima. É a hora decisiva: irá ele levantar-se e ir embora ou irá passar por cima disso tudo, com sua impassividade britânica?

Felizmente, a última opção falou mais alto. “Que legal. Não está me incomodando de maneira alguma; tem um som sólido e potente, eu deveria sugerir algo assim ao meu baterista, na verdade”, ele ri. Passamos pelos obstáculos, e uma bela xícara de café fumegante manda pra longe qualquer perigo que pudesse restar.

“Até hoje, eu só fui a um show no La Scala¹: Ligabue² era o nome. Eu não conhecia nenhuma de suas canções, só fui levar minha namorada italiana, fazer companhia a ela. Eu não entendi nenhuma das letras, mas teve um pedacinho que ficou preso na minha cabeça. Era algo como ‘Lambrusco³ e pipooooca’”.

Apesar de ser o líder de uma das bandas mais populares do mundo, Bellamy mantém-se obstinadamente discreto, quase como se uma parte dele recusasse a fama que têm sufocado o Muse.

“Os dias que seguiram o lançamento do The Resistance mudaram minha vida para sempre. Naquela semana eu vi que era simplesmente algo impossível de se ignorar. ‘Vocês são número um na Itália, no Reino Unido, no Canadá, na Nova Zelândia e na Austrália.’ Dois dias depois, outra ligação: ‘número um na Alemanha, França e Espanha também; número três nos EUA, 128 mil cópias vendidas em cinco dias.’ Isso sem falar na reação do público, com elogios vindos de gente como Brian May, guitarrista do Queen.

Pra resumir, uma explosão planetária que acabou de uma vez por todas com a resistência que o trio tinha contra seu crescimento. “Quando é numa escala global, o sucesso é como um raio poderoso – te deixa surdo e tonto, muda a sua percepção do mundo e, às vezes, torna alguém inteligente em um completo idiota. Isso não aconteceu comigo porque depois que eu vi o que estava acontecendo eu comecei a procurar por sombras naquele mar de luzes cegantes. Não é uma questão de pessimismo cósmico. Eu sempre acreditei que na vida há um certo balanço que deve ser mantido a qualquer custo. Quando sua carreira anda rápido demais e te dá coisas e gratificações que você acharia impossíveis de serem alcançadas na semana anterior, você não deve baixar a guarda. Significa que você está prestes a pagar suas dívidas; significa que a vida, depois de ter te dado muito, vai pegar algo de volta.”

Palavras proféticas sem significado na vida real? “Infelizmente é tudo muito real. No mesmo momento em que eu alcancei o meu ponto mais alto profissionalmente, eu fui deixado pela mulher que amo. Ela é italiana e mora perto do Lago Como, onde eu comprei uma casa para ficar com ela.” Ela, uma estudante de psicologia; ele, um rockstar ascendendo em um ritmo alucinante: eles se conheceram em Milão há sete ou oito anos e têm estado apaixonados desde então. Um amor cheio de passeios de bicicleta, pescarias no lago e episódios de Lost assistidos no sofá.

“Ter o seu coração em pedaços enquanto todos os outros aspectos da sua vida não poderiam estar melhor é um experiência traumática. Por cima, a vida está bem. Mas quando você coloca o seu dia em foco, tudo fica cinzento. O que aconteceu me fez ver que a felicidade completa, absoluta não existe. Ela me deixou, mas eu não vou desistir. Eu farei tudo que puder para tê-la de volta.”  Ele diz tudo de uma vez só, sem pausas, com a voz levemente engasgada. “Eu vou tentar de tudo”, ele insiste, olhando para o nada.

Para tirá-lo do momento só é preciso mencionar as palavras mágicas: Simona Ventura. Um nome que, na cabeça de Matt, conjura um episódio que teve consequências além de qualquer previsão. “A nossa visita ao Quelli Che Il Calcio… prova que em programas ao vivo a menor coisa pode se transformar em uma avalanche. Quando chegamos aos estúdios nos disseram que não poderíamos tocar ao vivo. Achamos que poderíamos ao menos deixar os vocais ao vivo, mas isso também não era possível. Então, já que nós só tínhamos de ficar lá em pé e nos fazermos de tolos, pensamos em bagunçar um pouco as coisas e decidimos trocar os papéis. No Reino Unido é meio que uma tradição fazer isso quando você é forçado a tocar com playback. Eu sentei na bateria e o Dom foi até o microfone, como eu teria feito. Quando a música terminou, achamos que a piada acabaria também.”

Mas de repente as coisas tomaram um rumo levemente diferente. “A apresentadora foi até o Dom como se ele realmente fosse o vocalista, e começou a bombardeá-lo com perguntas. Ele pensou rápido e levou a brincadeira em frente, transformando tudo em uma cena um tanto surreal. Ela estava falando com ele pensando que fosse eu, e ele respondeu todas as perguntas sem se entregar uma vez sequer, nem mesmo quando ela pediu para ele comprar a minha casa com a do George Clooney. Foi brilhante. No Reino Unido as pessoas ficaram loucas com isso, o vídeo foi visto umas 500 mil vezes no YouTube.”

“A parte engraçada”, relembra Dom, “é que eu tive que decorar a letra alguns minutos antes do programa. Pra misturar mais um pouco eu peguei o baixo do Chris. Então, além de cantar mal, eu tocava as cordas aleatoriamente porque eu não faço ideia de como se toca o baixo.”

A tensão se foi: garçons sem graça e perfuradeiras foram esquecidas, e Matt está improvisando novamente. “Se você quiser saber o quão intensa é a nossa relação com o Radiohead, pergunte pro Dom aqui. Ele e o Thom Yorke se entendem maravilhosamente bem.”

Boa ideia, exceto que… “Maravilhosamente bem uma ova”, diz o baterista. “Eu os respeito musicalmente, mas a última vez que eu o encontrei nós quase começamos uma briga; ele me tratou mal, como se eu valesse menos que ele. Matt, você espalha essa babaquice por aí?”

Mas Matthew se foi. Ele já está sentado em outro cômodo, segurando uma risada.

Notas:

¹La Scala é um dos teatros mais importantes da Itália.

²Luciano Ligabue, cantor italiano.

³Lambrusco é um tipo de vinho italiano.

Fonte: Muse.mu

Written By

Drone Master, mandante do crime, designer, programadora, amante de Muse mais do que a mãe (mentira, até porque a mãe ama Muse também) e também de Arctic Monkeys. Rondam-se boatos de que ela não seja Homo sapiens e sim Canis lupus.

Comments: 17

  • mems

    14 de março de 2010
    reply

    ai, gente. morri de dó do matt, vou começar uma campanha de “gaia, volta pra ele”.
    e acerta o thom, dom! dá uma de direita nele q

  • giowaleska

    14 de março de 2010
    reply

    “Mas Matthew se foi. Ele já está sentado em outro cômodo, segurando uma risada.”
    QUE FILHO DA PUTA! HAUAHAUAHAUAHAUAHAUAHAUAHAUAHAU
    *Morrendo*.

  • giowaleska

    14 de março de 2010
    reply

    Also, fiquei com lágrimas nos olhos ao ler a parte da Gaia.
    Não deixe nosso pequenininho assim, Gaia!
    Come back!

  • Anderson

    14 de março de 2010
    reply

    tadin do matt :/

    Ae Dom, acerta o outro olho do thom com a baqueta pra deixa ele mais tosco doq ja é oAKSKPSkP

    matt nem zoa com o Dom em qqq-

  • john

    14 de março de 2010
    reply

    Maravilha Talitão ♥ Deu dó do Matt mesmo, que tenso

  • Raquel

    14 de março de 2010
    reply

    Tb tive dó do Matt!! Coitadinho dele!!

  • Lays

    14 de março de 2010
    reply

    Se a Gaia não voltar pra ele, ela é burra. /falei

  • ericatarsis

    14 de março de 2010
    reply

    Adorei a entrevista!
    Mas morri de dó do Matt. =/ Tadinhoo!
    Volta pro Matt, Gaiaa!

  • Nicole

    14 de março de 2010
    reply

    Ótima entrevista! Sempre soube que o Matt é incrivelmente inteligente e sensível, mas depois dessa entrevista… Se a Gaia não quer, tem gente que o quer! hahaha
    Me rachei de rir, literalmente com ele falando do programa da Itália! Aquele vídeo é demais!
    E sinceramente, o Dom deveria ter estourado a cara do arrogante Thom Yorke, ele já tem os olhos tortos mesmo! hahaha

  • Yasmim

    15 de março de 2010
    reply

    Ai q dó do Matt!!
    Volta pra ele Gaia,não deixe nosso querido Matt sofrer assim poxa!Coitadinho!E Dom,deixa o Thom Yorke caolho dos dois olhos,dá uma baquetada nele!!

    • giowaleska

      15 de março de 2010
      reply

      “deixa o Thom Yorke caolho dos dois olhos”
      Essa foi a frase mais made of win que eu li hoje.
      *Palmas*.
      LOLEI FORTE AQUI.

      • Yasmim

        15 de março de 2010
        reply

        ASHUASHUAHU
        É isso ai,quem esse caolho safado pensa que é?!Baquetada nele Dom!!

  • john

    15 de março de 2010
    reply

    deixa o Thom Yorke caolho dos dois olhos[2] -q ASUHDASUH

    • Raquel

      15 de março de 2010
      reply

      [4] hehehehe

      • Fabricio

        18 de março de 2010
        reply

        [5] #prontofalei u_u HAUAhAUahuUahAHAaU

  • Natália Pedretti

    15 de março de 2010
    reply

    Caraca, que coisa linda, fiquei com lágrimas nos olhos também AUISHIAHIASHU geente… :OOO

  • dannyy

    11 de janeiro de 2011
    reply

    WOW! No comments.

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: