Tudo sobre a banda britânica Muse formada por Matt Bellamy, Dom Howard e Chris Wolstenholme.

Instagram Facebook Twitter

JB: Muse mostra por que cresce mais no palco que nos discos

Muse Morumbi - Foto por @paularobertarm

E, como esperado, começa agora a semana mais agitada de resenhas e artigos sobre o Muse e o U2 em todos os jornais, revistas e portais de notícias da internet. Nós, é claro, iremos divulgar todas, pois somos apaixonados por Muse.

Confira a seguir o que o Jornal do Brasil falou hoje a respeito do Muse e sua digna apresentação neste sábado no Morumbi:

Eles ainda são conhecidos por muitos como “a banda da saga Crepúsculo”, mas é preciso deixar claro que os rapazes do Muse fazem muito mais do que trilha sonora para vampiros românticos. A banda que abre o show do U2 na turnê 360º sabe aproveitar o que lhe é dado no palco – e não estamos falando de pouca coisa – para apresentar um setlist enxuto, porém impactante. Não é fácil reduzir cinco discos em oito músicas, mas eles souberam fazer essa curadoria.

Estilosos, os ingleses da pequena cidade litorânea de Teignmouth mostraram na noite deste sábado, no show em São Paulo, que podem (e devem) fazer mais fãs do que Stephenie Meyer, a autora dos livros vampirescos acima citados que sempre exige uma música do grupo na trilha de cada um dos filmes. O trio britânico faz parte daquela seleta lista de bandas que, ao vivo, agigantam músicas que, reproduzidas nos fones de ouvidos nossos de cada dia, parecem ser menores do que realmente são.

Usando os recursos do telão de 360º do U2, o grupo é puxado por Matthew Bellamy, calça rosa, jaqueta iluminada, guitarra idem. Bellamy tem energia de sobra para empurrar solos de guitarra e, logo depois, introduzir uma música no piano com Chopin para logo em seguida teclar um “sample” do Bolero de Ravel em uma performance que não deixa de lembrar os bons tempos de Fred Mercury.

O grupo que abriu e fechou seu curto show com possivelmente duas de suas músicas mais famosas, a mais recente Uprising e a cavalgada Knights Of Cydonia, soube levantar o público do Morumbi mesmo debaixo de chuva forte. Bellamy disse, ao final da apresentação, que quer voltar à cidade. Espera-se que, da próxima vez, eles sejam a atração principal da noite.

Fonte: JB.

Comments: 7

  • Gi.Dias

    10 de abril de 2011
    reply

    *-*

  • NatyPedretti

    10 de abril de 2011
    reply

    seria bom se esses shows fizessem com que eles sejam convidados pro Rock in Rio o/

    • dannyy

      10 de abril de 2011
      reply

      Seria óteeemo filho!!!

  • Coltsfan

    10 de abril de 2011
    reply

    “Eles ainda são conhecidos por muitos como “a banda da saga Crepúsculo”” realmente, mas por quanto tempo? axo q isto esta lentamente mudando! esses shows vao ajudar msm!

  • musemaniac14

    10 de abril de 2011
    reply

    realmente, espero que muse comece a ser chamada logo como a nova e mais fodastica banda ao vivo do mundo (o que é!), matt prometeu um 6 album mais pessoal, mas eu confio nele, a banda tem potencial pra crescer muito mais e se desvencilhar da imagem relacionada ao filme…

  • dannyy

    10 de abril de 2011
    reply

    Também espero!!!
    Gostei da matéria.

  • Michael França

    11 de abril de 2011
    reply

    …o grupo é puxado por Matthew Bellamy, calça rosa, jaqueta iluminada, guitarra idem (essa citação é super gay-mona-guitarrista morri de rir quando li>to rindo até agora enquanto digito)

    Esperando ansiosamente pelos shows. e ficar na cola dos vampiros é a pior coisa que tem.

    a nova e mais fodastica banda ao vivo do mundo (o que é!), (Com toda certeza meu amigo musemaniac14 Muse#1)

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: