Tudo sobre a banda britânica Muse formada por Matt Bellamy, Dom Howard e Chris Wolstenholme.

Instagram Facebook Twitter

[TRADUÇÃO] BASTIDORES DA MÚSICA: 17 ARTISTAS QUE TIVERAM GRANDE INFLUÊNCIA NO MUSE

Do suave ao triunfante, das baladas ao bombástico, do rock clássico ao “rock safado”, os sons do Muse são muitos e são extremos. Naturalmente, uma banda tão eclética e excêntrica tem uma boa quantidade de influências por trás.

Do rock pesado do Rage Against the Machine e do Nirvana aos hinos-enchedores-de-estádio do Queen, Depeche Mode e Bowie (passando pela pura alegria pop de Michael Jackson e Prince), o Muse ouve praticamente tudo – e certamente isso vaza no som “fora desse mundo” deles.

Então, enquanto o trio de space-rock de Devonshire prepara o seu retorno com o sétimo álbum, Drones, nós damos uma olhada em 17 bandas que tiveram um enorme impacto no som do Muse.

 

1. Rage Against the Machine

Talvez a mais óbvia de todas as influências graças ao som malvado, pesado e “Tom Morellesco” de muitos dos riffs de Bellamy. O Muse já disse diversas vezes que RATM é uma das bandas favoritas deles. Não somente o show do RATM como headliner no Reading & Leeds em 1996 foi uma das experiências que ajudaram o Muse a se consolidar como banda, mas também os inspirou a serem headliners um dia também. Bellamy já admitiu ter sido inspirado pela “pureza” e pela crença por trás daquilo que o RATM faz, e também recrutou Rich Costey, produtor do RATM, para trabalhar no Absolution e no Black Holes and Revelations.

 

2. Nirvana

O impacto do Nirvana no Muse é aparente, especialmente no começo quando a banda fazia covers de Kurt Cobain e cia., com o próprio som pegando algo deles. O baixista Chris Wolstenholme disse uma vez: “Nós gostávamos de Nirvana quando éramos mais jovens. Quando estávamos em outras bandas nós fazíamos covers das músicas deles. Foi o que nos fez gostar de bandas, na verdade. Foi o que nos fez querer ter uma banda.”

 

3. David Bowie

Vamos ser sinceros: praticamente todo mundo já foi inspirado por Bowie – especialmente quando o assunto é space-rock. O Muse não é diferente, admitindo que “Heroes” teve uma influência gigantesca na música “Invincible”. O baterista Dom Howard contou uma vez para a rádio Triple J que Bowie apareceu no estúdio enquanto eles gravavam o Black Holes and Revelations para fazer uma colaboração, mas eles estavam despreparados e apenas tocaram algumas músicas. Ah, como a história poderia ter sido diferente…

 

4. Depeche Mode

Acerca do período de gravação do Black Holes and Revelations, muitos enfatizaram a semelhança entre “Map of the Problematique” e “Enjoy the Silence”. Quando perguntados sobre o Depeche Mode, Bellamy respondeu: “Eu posso entender essa associação porque eles são uma banda que nunca realmente encaixou com a cena musical da época deles. Eles tinham seu próprio estilo, seu próprio som. Eu os respeito muito.”

 

5. Tom Waits

Na virada do século, Bellamy foi ver Waits em Nova York – chamando de “um dos melhores shows” que ele já viu. Ele iria influenciar o som e a percussão de “Screenager” antes da banda usar “What’s He Building in There” para entrar no palco naquela turnê. Bellamy disse depois à Uncut: “Eu gostaria de ter tocado as partes de guitarra ou qualquer coisa em Mule Variations. Eu amo Waits porque ele é um artista que me faz não ter medo de ficar velho, e isso é raro. Eu acho que é bem raro ter esse nível de sabedoria. E as letras são simplesmente incríveis; tudo na vida está nas letras dele.”

6. Michael Jackson

Falando sobre o clássico “Time is Running Out”, do Absolution, Wolstenholme disse: “TiRO foi uma das últimas músicas que fizemos no Absolution. Nós havíamos gravado setenta ou oitenta por cento do álbum e fomos à Irlanda para refazer algumas coisas e terminar algumas faixas novas. Mas aquela foi uma das últimas levas de músicas que escrevemos. Queríamos ir para algo mais funkeado, algo um pouco mais… não funkeado, mas com um pouco mais de groove. Era algo que nunca realmente havíamos feito antes. Algo que fizesse você querer estalar os dedos. Algo que fosse mais influenciado por Michael Jackson ou alguém asim. Queríamos algo que soasse como ‘Billie Jean’.”

 

7. Queen

Herdeiros da pompa e insanidade do trono do stadium-rock outrora pertencente ao Queen, a conexão entre o Muse e Freddie Mercury e cia. é fácil de ver. Bellamy disse uma vez: “No mundo do rock, o Queen aparece como um bom exemplo da colisão entre guitarra e piano na hora de escrever uma música. Eu acho que é aí onde você esbarra naqueles arranjos e estruturas de acordes mais fora do comum. No meu coração eu quero fazer mais rock pesado, mas ao mesmo tempo sou muito mais atraído pelo piano.”

 

8. Jeff Buckley

Com o falsete flutuante e as tendências a ser maestro, não deveria ser nenhuma surpresa que Bellamy é um fã ávido de Buckley. Ele disse à Kerrang em 2005: “Antigamente não era muito legal cantar em falsete porque Nirvana e todas aquelas outras coisas estavam na moda. Entretanto, vimos Jeff Buckley fazer um show e ele não tinha medo de ser um homem com voz aguda. Penso que aquilo ajudou com que eu me abrisse e usasse um estilo vocal mais emocional e expressivo.”

 

9. Ennio Morricone

O gênio por trás de muitas das trilhas sonoras de filmes atuais, a banda admite que os instrumentais românticos de Morricone foram uma grande influência em várias músicas do Black Holes and Revelations – como “City of Delusion”, “Hoodoo” e “Knights of Cydonia”. A banda também costuma tocar “Man With Harmonica” ao vivo.

 

10. Franz Ferdinand

Sim, por incrível que pareça. Bellamy disse à Q em 2004: “eles estão combinando dance music e rock de um jeito muito legal, sem samples ou sequencers. É algo que temos interesse em tentar”. Muitos acreditam que essa foi a principal motivação por trás dos elementos mais dançantes do BH&R como “Supermassive Black Hole” e “Exo-politics”.

 

11. Deftones

Não só há semelhanças na paixão com a mistura entre o histriônico e o agressivo, mas o Muse era um grande fã do Around the Fur na sua juventude – então imagine o prazer deles quando tornaram-se companheiros de gravadora na Maverick lá em 1999. Bellamy costuma tocar o riff de “Headup” após “New Born” ao vivo.

 

12. Millionaire

Uma das mais brilhantes e subestimadas exportações da Bélgica, o stoner “à la Prince encontra o space-rock” do primeiro álbum maravilhoso Outside the Simian Flock foi uma influência direta em “Supermassive Black Hole”.

 

13. Prince

Além de inspirar alguns dos momentos de falsete de Bellamy, o “swag sexy” de Prince acabou todo em “Supermassive Black Hole”. E não só isso: a banda fez um cover insano de “Sign O’ the Times”.

 

14. Lightning Bolt

o Muse é extremamente fã, fazendo covers recorrentes de “Dracula Mountain”, com o Bellamy dizendo: “Para mim, o baterista do Lightning Bolt é um dos melhores bateristas do mundo; ele é como a voz principal. Baixo e bateria, só isso. Bastante experimental.”

 

15. System of a Down

Serj Tankian, frontman do SoaD, uma vez ofereceu ao Muse um contrato com sua própria gravadora lá em 2002, a qual eles recusaram. Entretanto, Bellamy disse que a banda foi uma grande influência na faixa “Stockholm Syndrome”.

 

16. Sergei Rachmaninoff

Ao longo da carreira do Muse de brincar com cordas e arranjos complexos de piano, eles sempre tiveram um pé tão bem plantado no mundo erudito quanto outro no do rock. Dizem que “Megalomania” e “Exogenesis: Symphony” têm mais que um toque de Rachmaninoff. Bellamy disse à Keyboard Mag: “Com Rachmaninoff, Lizst e Chopin, existe um mistério na música. É muito mais abstrato e muito mais capaz de estimular sua imaginação.”

 

17. Weezer

Qualquer criança que cresceu com música alternativa nos anos noventa provavelmente foi atingida pelo Weezer. O Blue Album (e o Rivers Cuomo virando o “guitar hero” irônico e nerd) tiveram um grande impacto em Bellamy e cia.

 

Fonte: Gigwise

Written By

tradutor, escritor, músico e poeta. quando não estou traduzindo, estou tocando guitarra (e vice-versa). choro todo dia pela demora do drones.

Comments: 3

  • Larissa Nascimento

    13 de abril de 2015
    reply

    Muito boa postagemMuse é uma banda apaixonante e bem eclética! Os ecletismos de Muse!
    Não sabia que na música Time is running out eles se influenciaram no Michael Jackson,bom saber disso rs
    Já se tratando de Queen e Prince,Nirvana e dentre outros citados é bem notório,poderia ter colocado mais influencias como Nina Simone, já que Matt fez cover dela e ele gosta de Jazz,Jimi Hendrix tbm.

  • Gerson Bezerra de Assis

    13 de abril de 2015
    reply

    Maravilhoso post

  • Edwins Ramires

    13 de abril de 2015
    reply

    Com certeza faltou U2 e RADIOHEAD, talvez RUSH e LED ZEPPELIN também.

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: