Tudo sobre a banda britânica Muse formada por Matt Bellamy, Dom Howard e Chris Wolstenholme.

Instagram Facebook Twitter

Um mês após o segundo show…

Há um mês, a essa hora, quem foi ao Morumbi para ver o segundo show de MUSE+ U2 estava se acabando de emoção, ouvindo a banda tocar músicas como “Uprising” e “Feeling Good”. (Quem não foi, estava em casa chorando!)

Para quem se pergunta ‘por que‘ de um show de abertura e não um show solo, a resposta é obvia: eles vieram aumentar o rebanho de musers da melhor maneira que poderia haver. São poucas as bandas que conseguem juntar 90 mil fãs em uma só noite. Sendo aqui no Brasil, é mais raro ainda. Então tocar na abertura do show do U2 é a melhor maneira de se expor aos fãs de música.

Fica muito fácil para um fã, muser até o último fio de cabelo, falar MUITO bem dos 45 minutos de Muse que tivemos em cada um desses shows, então achei muito legal ler de alguém que mal conhecia a banda, que foi ao Morumbi com o propósito de ver o U2, falar MUITO bem de MUSE, mesmo que brevemente. Olha só:

A princípio, gostaria de fazer uma retratação ao Muse. Eu saí de casa achando que seria terrível agüentar a ansiedade de ver o U2 com eles no palco. Mas, pra mim, eles foram a grande surpresa da noite. Ninguém esperava grande coisa dos caras (exceto os fãs, que foram lá só pra vê-los) e depois uma hora mais ou menos, eles mudaram a minha opinião. Simpáticos, talentosos e cientes que não eram a grande banda da noite, eles ignoraram a frieza de alguns dos presentes e fizeram um grande show. As 4 músicas que eu sabia cantar, eu cantei. As outras, eu aplaudi e admiti que, no fim das contas, o Muse era uma grande banda. Ganhamos uma reverência do frontman Matt Bellamy ao fim do show de abertura. Que tipo de vocalista engole o próprio ego e reverencia um público parcialmente frio? Um grande vocalista, eu lhes digo.

Será que a banda conseguiu cumprir o propósito? Acho que gostamos de acreditar que sim e que, assim que sair o novo álbum, teremos um grande espetáculo só para nós!

 

Fonte: Blog Impressions

 

 

Comments: 15

  • Carol

    10 de maio de 2011
    reply

    “Que tipo de vocalista engole o próprio ego e reverencia um público parcialmente frio? Um grande vocalista, eu lhes digo.”

    Nossa, até arrepiei.

  • Lucas

    11 de maio de 2011
    reply

    Carol, achei que tinha sido o único. Eu também arrepiei muito nessa última frase.

  • Iago

    11 de maio de 2011
    reply

    “assim que sair o novo álbum, teremos um grande espetáculo só para nós!”= mal posso esperar ‘-‘

  • Gi.Dias

    11 de maio de 2011
    reply

    *-*

  • CahBinni

    11 de maio de 2011
    reply

    Amem! Hehehe
    Espero mesmo que eles venham só pos musers!!

  • Coltsfan

    12 de maio de 2011
    reply

    “Quem não foi, estava em casa chorando!”

    Acertou!

  • musemaniac14

    12 de maio de 2011
    reply

    “Que tipo de vocalista engole o próprio ego e reverencia um público parcialmente frio? Um grande vocalista…”. Concordo plenamente, e espero que da próxima vez seja um show “pra valer”…

  • Thalita____

    12 de maio de 2011
    reply

    “Quem não foi, estava em casa chorando!”

    e tendo ataques de raiva/tristeza, insonia,olhos vidrados em algum ponto do espaço, tremedeira das pernas (aquele habito terrivel), pesadelos, olhos inchados…..

  • Gi.Dias

    14 de maio de 2011
    reply

    eu não estava só chorando, estava em depre..

  • Izaa.

    15 de maio de 2011
    reply

    Quem não foi, estava em casa chorando!+1

  • Michael

    20 de maio de 2011
    reply

    +1. Preciso contar que estava ouvindo Orign of Symmetry? (mas de certa forma acabei falanado mesmo).

    Bem, chorei ainda mais quando li o post daquela mulher qua tinha ganhado 2 PALHETAS E O AUTOGRÁFO DO DOM E AINDA UMA FOTO COM ELE. mas, quado eles vinherem novamente eu estarei lá pulando feito pipoca e gritando até as minhas cordas vocais terem uma morte súbita.

    “Que tipo de vocalista engole o próprio ego e reverencia um público parcialmente frio? Um grande vocalista, eu lhes digo.”

    Certíssimo, mas Matt é bem mais do que um GRANDE vocalista. Ele também é um GRANDE gutarrista, solista (Dayane dos Santos perde para ele), pianista, compositor e muito mais

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: