Tudo sobre a banda britânica Muse formada por Matt Bellamy, Dom Howard e Chris Wolstenholme.

Instagram Facebook Twitter

[TRADUÇÃO] MATT DISCUTE VOLTAR AO BÁSICO EM NOVO LP!

Matt Bellamy no Webster Hall, ontem!

Matt Bellamy no Webster Hall, ontem!

 

De novo, sim!

 

“Nossa intenção era voltar para como fazíamos música nos estágios iniciais da nossa carreira”, Matt Bellamy disse que a banda queria voltar às suas raízes musicais durante a gravação do novo álbum ‘Drones’, dizendo a Rolling Stone: “Nossa intenção era voltar para como nós fazíamos música nos estágios iniciais de nossa carreira, quando éramos mais como uma banda de rock de três peças padrão com guitarra, baixo e bateria”.

 

Enquanto ele está orgulhoso dos últimos três álbuns de sua banda, ele admite que eles se distrairam na sala de controle:

 

“Nós provavelmente passamos mais tempo na sala de controle, brincando com os botões, sintetizadores, computadores e máquinas de bateria do que realmente tocando juntos como uma banda”, ele disse. “Quando olho para trás nos últimos três álbuns, cada um tinha progressivamente menos e menos canções que poderíamos tocar ao vivo”.

 

Então, em vez de auto-produção, eles decidiram trazer Robert “Mutt” Lange (Back In Black do AC/DC , Hysteria de Def Leppard).

 

“Antes de conhecê-lo eu não tinha certeza, disse Bellamy sobre Lange. Não queria que nós fôssemos transformados em uma espécie de ato de Top 40. No entanto, Lange foi totalmente no conceito. Ele é o tipo de pessoa que entra na mente do artista e no que o artista quer”.

 

Bellamy também discutiu de onde veio o conceito de drone para o álbum, dizendo à revista Rolling Stone que teve a ideia inicialmente há dois anos atrás, quando ele estava lendo o livro ‘Predators: The CIA’s Drone War on al Qaeda’ de Brian Glyn Williams, professor de Dartmouth.

 

“Eu fiquei chocado”, ele compartilhou. “Eu não sabia o quão abundante tem sido o uso drone. Eu sempre vi Obama como um cara simpático e versátil. Mas lendo o livro, você descobre que quase todas as manhãs ele acorda, toma um café da manhã e depois desce para a sala de guerra e faz o que eles chamam de ‘matar decisões.’ Ele toma essa decisão baseado em uma longa cadeia de pessoas inteligentes que, como todos sabemos, podem ser muito duvidosos”.

 

Falando sobre o novo single ‘Dead Inside’, Bellamy disse que é sobre “pessoas que tem algo de ruim acontecendo com elas, mas elas optam por não sentir isso e tornam-se mortas por dentro”.

 

“Então elas continuam e se tornam vulneráveis a essas forças escuras e opressivas, que são mais do que felizes em tirar vantagem de pessoas assim,” ele continuou.

 

Enquanto isso, faixas como ‘Psycho’, ‘Mercy’ e ‘Reapers’ são sobre “ser vencido por essas forças opressivas”.
O vocalista do Muse também discutiu brevemente sobre a próxima turnê da banda dele, dizendo que eles querem “integrar as músicas antigas com as novas músicas… O objetivo é criar uma espécie de narrativa abstrata, não necessariamente uma história específica”.
Ele também abordou o argumento que o conceito de um álbum é morto, dizendo que o iTunes e serviços de streaming fizeram o single “Uma coisa mais fácil de acessar
… O que fez o álbum como uma coleção de canções quase sem sentido. Mas um álbum que tem um conceito, história ou a razão de ser um álbum, ou alguma coisa, tem mais sentido agora do que nunca”.

 

Fonte : Gigwise.

Written By

Drone programado no Internet Explorer por ter raciocínio lento que possui ligações próximas com avestruzes. Além de traduzir as coisas por aí, fã carinhosa, incondicional e viaja pelas redes em geral!

Comments: 1

  • Gisele Oliveira

    9 de maio de 2015
    reply

    Quando eles falam de “voltar às origens” eu sempre fico pensando em Showbiz, mas acho que tá mais pra pegada do 2º e 3º álbuns do que pro primeiro, Showbiz foi algo muito singular na carreira deles.

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: